quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Ramacrisna recebe o AIC Jovem 2014



No próximo sábado, 18 de outubro, a Ramacrisna abrirá as portas para o AIC Jovem - ação da Cemig que visa a responsabilidade social, direcionando jovens indicados por associados às mais diversas atividades relacionadas a escolha da profissão.

Em 2014, o foco do evento está voltado para as possibilidades de trabalho que existem no 3º setor. Como a Ramacrisna é referência, a ocasião contará com palestras, visitas guiadas pela instituição e, ao final, os jovens inscritos no projeto terão oficinas variadas com os Antenados, a fim de reforçar a ideia de que no 3° setor existem inúmeras formas trabalho.

A AIC - Associação Intergerencial da Cemig é formada por 3 projetos – AI6%, Projeto Jovem e AIC Cidadã.

Saiba mais sobre esse e outros eventos através do site: http://www.aicemig.com.br/

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Prêmio das Crianças do Mundo


-->
Texto: Mirelli Silva

Estamos em época de eleições e o Projeto Antenados não poderia ficar de fora. Não vamos discutir sobre candidatos ao senado ou à presidência da República. Fomos convidados pelo “Circo de Todo Mundo”, uma Organização sem fins lucrativos, situada no bairro Bandeirinhas, em Betim para discutir o “Prêmio das Crianças do Mundo”.


World's Children's Prize
O Prêmio das Crianças do Mundo, é uma iniciativa da ONG Childrens World, fundada em 1979, na Suécia. Todo ano são escolhidos três pessoas que de alguma maneira contribuiram na defesa dos direitos de crianças. Este ano, a data escolhida para a votação mundial foi o dia 7 de outubro, após jovens com idade entre 10 e 18 anos, conhecerem e escolherem os candidatos.



A participação do Projeto Antenados na votação veio a partir de uma visita de alunos do Circo de Todo Mundo, única organizaçao de Minas Gerais responsável por receber os votos. Alguns antenados também tiveram a oportunidade de participar de momentos na tenda do Circo de Todo Mundo. Durante a visita recebemos materiais referente aos candidatos, como: revista sobre o prêmio e cartazes da campanha.

Foram três concorrentes surpreendentes – Malala Yousafzat; John Wood e Indira Ranamagar – que buscam melhorias na educação de crianças.
Conheça um pouco sobre cada finalista: 

  • Malala Yousafzat defende abertamente o direito das meninas frequentarem a escola, no Paquistão. Ela acredita que a educação é o futuro, e que uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo;



  • John Wood sempre teve o sonho de combater a pobreza, oferencendo às crianças de todo o mundo a oportunidade de frequentar a escola. Ele diz que quando as crianças sabem ler e escrever, elas podem se proteger melhor contra o abuso, o tráfico humano e a escravidão, e podem exigir respeito aos seus direitos;


  • Indira Ranamagar influencia políticos e autoridades a tornar os presídios mais humanos. Ela ensina os detentos a ler e escrever, para que tenham um melhor desempenho quando saírem da prisão e, assim, possam cuidar melhor de seus filhos.
Foi muito bom ter a oportunidade de conhecer pessoas que lutam pela nossa educação. As vezes chegamos até a reclamar de ter que ir a escola. Nós temos que pensar que existem pessoas no mundo que nunca tiveram direito de ir em uma escola e talvez nunca terão.” ressaltou o antenado Antonio Marques.

Em breve, divulgaremos o resultado.

Imagens:

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Ramacrisna realiza Workshop para jovens empreendedores

Reprodução: Blog Ramacrisna

No dia 6 de outubro, a Ramacrisna irá realizar o 1º Workshop de Empreendedorismo, com palestras e cases super interessantes, inclusive de integrantes do Projeto Antenados.

Participe! 


terça-feira, 16 de setembro de 2014

A troca de cartas sobrevive


Texto: Filipe Abras
Fotos: Filipe Abras
Depois de mais de um mês trocando cartas, experiências e informações de forma à não revelar quem escrevia do outro lado, finalmente chegou a hora de descobrir a pessoa por trás da mensagem. “Usando pseudônimos, o mistério de quem era o correspondente foi mantido até o dia da confraternização, assim, tornava ainda mais interessante essa atividade”. Afirmou um dos idealizadores da parceria, Cledemar Duarte.  
A festividade aconteceu na última sexta feira (12), em um novo espaço da Ramacrisna, carinhosamente apelidado de “Quintal” pelos próprios funcionários.

Essa atividade foi realizada entre o Projeto Antenados e o Programa Adolescente Aprendiz, ambos desenvolvidos pela Ramacrisna. O objetivo dessa parceria foi de ressuscitar o uso da carta, prática muito usada antes dos telefones, rádio e internet, enfatizando sua importância histórica em todo mundo, além de praticar a escrita e mostrar o quão prazeroso pode ser receber e enviar uma carta feita a mão.

“Nunca tive contato com cartas. Nessa atividade não conhecia a pessoa que estava trocando as cartas. Acabou sendo muito legal e ainda fiz mais uma amizade”. Declarou o integrante do Projeto Antenados, Luan Souza.

A atividade não só relembrou uma boa e velha maneira de se comunicar, mas também aproximou quem participou da oficina, o que seria impossvel por meio das redes socias. “A elaboração das cartas gerou uma necessidade de escrever bem, com cuidado, dedicação e se preocupando com o que o outro iria ler”. Disse a Instrutora do Adolescente Aprendiz, Leniria Melo.


Confira algumas fotos da confraternização.
 
 
 
 

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Antenados promove oficina em escola do bairro


Esta semana o Projeto Antenados em parceiria com a Escola Estadual Nascimento Nunes Leal do bairro Marimbá, volta a promover as oficinas na escola.

A iniciativa surgiu a partir de alguns bate papos na sala dos Antenados, com o seguinte tema:
Qual é o verdadeiro papel dos alunos e professores na educação brasileira? Logo depois, alguns Antenados fizeram uma visita a escola, com o intuito de “Despertar” os jovens da região.
 
Com o apoio da professora Cláudia Reis, que junto com nossa equipe de instrução, desenvolveram a ideia de mobilizar cerca de 70 alunos do primeiro ano, a produzirem um fanzine e um jornal mural interno, atividade que será enquedrada no Projeto Reinventado o Ensino Médio.
O principal objetivo das oficinas é fortalecer o prazer dos alunos pelo ambiente escolar, onde todos os dias passam boa parte do seu tempo, utilizando como ferramentas a colagem, prática de produção de textos, e algumas técnicas de como são escritas as materias jornalísticas.

“O Antenados sempre buscou este contato com a comunidade. A proposta de auxiliar os alunos a criarem um jornal mural e um fanzine é algo fantástico.” Diz o jornalista do Projeto Antenados Cledemar Duarte.

“Foi uma ótima experiência. Após a oficina todos da sala comentaram e elogiaram a dinâmica. Foi algo bem diferente do que estamos acostumados a fazer todos os dias na escola. Estou ansioso para produzir o jornal.” Comenta Rike de Deus, 15 anos, aluno estudante.

A atividade acontecerá três vezes ao mês, e a cada encontro os estudantes participaram de dinâmicas, oficinas e bate papos com os Antenados até a finalização dos trabalhos.
Se você curtiu essa ideia, continue acompanhado nossas redes sociais e confira todas as etapas dessa ideia.



terça-feira, 12 de agosto de 2014

Curta #Partiu! é selecionado em festival



Texto: Cledemar Duarte

Mais uma grande novidade no Antenados. Produzido em maio deste ano, o curta que retrata a rotina dos instrutores do Projeto Antenados foi selecionado para o Festival de Curtas de Cabo Frio- Rio de Janeiro. O festival tem início no dia 1º de setembro.

#Partiu!

O vídeo produzido pelo Antenados vai participar da mostra competitiva digital. Em junho, compartilhamos um pouco dessa história com o post sobre o #Partiu! e o lançameto oficial do curta na internet. 


“Participar desse festival é um reconhecimento do nosso trabalho e algo muito bom para autoestima dos integrantes. Além, é claro, de entrar nesse mundo dos festivais e quem sabe pensar em coisas maiores”. Destaca Emerson Oliveira, Coordenador do Projeto Antenados.

O Festival

Curta Cabo Frio é considerado o principal festival de cinema da Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Além da exibições, são promovidas palestras, oficinas, mostras em escolas e universidades.

O festival foi dividido em quatro mostras competitivas, são elas: mostra digital, película, web vídeos e longa-metragem.

A escolha dos melhores em cada categoria será realizado por meio de Juri formado por cineastas escolhidos pela organização, além da escolha pelo voto popular.

Mais informações sobre o Curta Cabo Frio basta acessar o link http://www.festivalcurtacabofrio.com.br/


terça-feira, 29 de julho de 2014

Você já tem um blog?


 
Texto: Beatriz Miranda

O weblog, mais conhecido por sua abreviatura blog, é um dos temas trabalhados esta semana no Projeto Antenados.

Um Blog é um espaço na web que permite o registro de conteúdo à sua escolha, e por isso é conhecido como diário online. Hoje, não é só conhecido por essa função mas também como uma fonte para obter informações, pois é usado por empresas e grandes nomes do mundo, fotógrafos, jornalistas, escritores entre outros.

Pensando nisto o instrutor Cledemar Duarte, trabalha com os alunos o formato dessa plataforma e busca destacar o texto para internet, incentivando os integrantes a praticarem a escrita no blog do Projeto.

Esta atividade tem o objetivo de mostrar para os integrantes um pouco sobre uma das principais ferramentas do Projeto que é o Blog Antenados”. Diz Cledemar Duarte.

Querendo ou não nós vivemos em um mundo movido pela tecnologia, onde há novidades a todo o momento, e a importância desta oficina é que podemos divulgar para mundo algo que gostamos e que temos prazer de fazer, e o blog pode nos proporcionar isso de uma forma prática e fácil”. Diz Antonio Marques, integrante do Projeto.


Como resolver a crise no jornalismo? Parte V


Para finalizar a nossa série "como resolver a crise no jornalismo", a opinião agora é do instrutor formado em jornalismo Cledemar Duarte, que friza alguns aspectos que devem ser mudados nesta área.

Texto: Cledemar Duarte

E ai, qual a pauta?

A cada dia crescem as dificuldades para fazer o bom e velho jornalismo. Mas qual seria a saída para enfrentar as adversidades na comunicação?

O aumento do acesso à internet, a popularização dos aplicativos para smarthfones podem ser aliados do jornalismo. Muitas TVs, rádios e jornais impressos já usam das novas tecnologias para diminuir os custos nas produções.

A possibilidade de divulgar a marca de uma empresa em várias mídias é o diferencial dos veículos. Usado da maneira certa, os grandes e pequenos jornais mantém o patrocínio e possibilitam o maior alcance das marcas apoioadoras.

Além do benefício comercial, o uso da internet e redes sociais reforçam que a divulgação de informações acontece de maneira natural e, na maioria das vezes, sem a presença de um jornalista. O que fazer então?

Reconhecer o alcance das postagens do público em geral e usar o internauta como um grande aliado e parceiro dos jornais.

Algumas sugestões para um novo formato de produzir notícias: imparcialidade, mais do que nunca informar deve ser o principal, ouvir todos os lados; furos de reportagem, cada vez mais difíceis na era digital, uma cobertura completa deve ser o mais importante; apurar, fundamentos do jornalismo não devem ser esquecidos.

Ainda existem outros aspectos, mas o principal é o papel do jornalista na busca pelo que é relevante e deve ser repassado para sociedade.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Como resolver a crise no jornalismo? Parte IV


O texto de hoje é da instrutora Cleidiane Duarte, que deixou explícita sua opinião  sobre o assunto.

Texto: Cleidiane Duarte

Qual seria a forma certa para resolver de vez a crise no jornalismo?

Fiquei indagada por horas antes de começar a rascunhar esse texto. Será mesmo ter uma solução para se resolver essa crise?

Como ouvimos no podcast (O jornalismo no Tempo da Internet) , o jornalismo se encontra com uma defasagem, tanto para o ingresso no curso quanto para os profissionais já formados, não bem qualificados. A internet e a inserção do jornalismo nas redes deixou a situação um pouco pior.

Acredito eu que, deve ser investido uma melhor qualificação nos estudantes da área e que a grade do curso seja refeita para atrair os estudantes do ensino médio a fazerem essa graduação. As empresas e veículos de comunicação pensarem em algo para trabalhar o jornalismo na internet, para que não seja um jornalismo duvidoso, para que as notícias “falsas” do facebook passem a ser verdadeiras, uma fonte segura. Que jornalistas não provoquem mais casos como o da Escola Base, em que uma cobertura ou apuração estragou a vida de pessoas.

Pouco tempo atrás, conhecíamos somente as notícias de TV, mais especificamente Jornal Nacional, e hoje, o que menos assistimos na TV são os telejornais. Deixamos essa mídia, para nos assegurar pela internet, pelas redes sociais, que na maioria das vezes não são fontes seguras.

O jornalismo pulando etapas não é jornalismo, não se faz a profissão com etapas incompletas. Que as faculdades possam passar isso para os futuros jornalistas, para que saiam preparados para fazer um jornalismo de qualidade onde quer que estejam.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Como resolver a crise no jornalismo? Parte III

Continuando a nossa série de textos “A crise no jornalismo”, confira agora a opinião da instrutora Beatriz Miranda.

 Texto: Beatriz Miranda

O jornalismo televisivo e impresso já não são um dos meios mais rápidos para se passar uma notícia. Hoje, com a internet acessível para mais de 140 milhões de brasileiros, o uso de aplicativos consegue praticamente em tempo real passar várias informações que não são transmitidas com a mesma praticidade no jornal impresso ou na TV, e isso tem feito com que o jornalismo adquira características que fogem do tradicional.
         
Quando as noticias são transmitidas de modo rápido no ritmo da internet a apuração, um dos processos básicos do jornalismo pode ser ignorada, e isso causa grandes consequências como erros graves em uma matéria.
         
A parcialidade está praticamente em todos os telejornais. Ancora dando “suas” opiniões, que geram um grande engajamento fugindo da ética profissional de um jornalista.
         
A crise no jornalismo vem pelo fato de todos esses problemas estarem juntos. A internet já ganhou um grande espaço nos lares e celulares dos brasileiros, mas ainda não é um meio muito confiável para se ler uma informação. Para evitar estes problemas é importante que na formação dos futuros jornalistas seja reforçada a ética da profissão. Independente do tempo a notícia sempre deve ser verídica e passar de forma mais real do assunto pautado, pois não se pode inventar informações simplesmente pela audiência.  A imparcialidade não pode ser uma palavra desconhecida e pouco usada, a opinião sobre cada matéria deve ser extraída pelo próprio espectador a partir das informações da notícia que foi repassada pelo meio de comunicação. A opinião de um jornalista de cunho nacional, por exemplo, pode influenciar muita gente.

         
É difícil competir com algo novo, como a internet, mas o jornalismo sempre vai ter o seu lugar, afinal, o mundo precisa dessa confiança sobre os diversos assuntos do dia a dia que só o jornalista com sua especificidade profissional  pode passar.