Machado de Assis, o escritor dos escritores

Texto: Hellen Silva
Fotos: Antenados e Divulgação

Depois das férias nada melhor do que voltar às atividades do Projeto com a corda toda.
Momentos de leitura, escrita e bate papo são trabalhos  comuns no dia a dia do Antenados.

Com a chegada do final do ano, as provas de concursos, vestibulares e o Enem estão cada vez mais próximas. Por isso, a proposta desencadeada pela coordenadora pedagógica Nívia Ribeiro para este momento, é a leitura coletiva de um clássico da literatura brasileira: O livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas”.

Joaquim Maria Machado de Assis, mais conhecido como Machado de Assis, é um importante escritor da literatura brasileira, tendo suas obras divididas em duas fases:

A primeira é baseada em seu estilo romântico tendo o amor e sentimentos amorosos como tema principal de seus livros, como é o caso do livro Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Já na segunda, a ideia de suas obras é mais realista, destacando as necessidades, defeitos e qualidades do ser humano.
 

A obra trabalhada no Projeto, consiste nas memórias de um defunto, narrada por ele mesmo, em primeira pessoa. Brás Cubas inicia sua história em seus últimos minutos de vida. De família rica, Era um menino arteiro, mimado e protegido pelos pais. Sem nunca ter responsabilidades e culpas, passou a infância e chegou à mocidade. Foi nela que conheceu Marcela, uma espanhola, por quem se apaixonou. Conquistou-a e viveu um romance. Brás enchia-a de caros presentes e foi assim que gastou um pouco de sua herança.

Além de ser um clássico da literatura brasileira, a obra tem uma grande influência internacional, sendo uma das principais inspirações do cineasta Woody Allen. Confira no vídeo a serguir:

Em uma entrevista feita com a coordenadora Pedagógica Nívia Ribeiro, ela explica a importância dos integrantes do Antenados conhecerem obras renomadas como esta:

Ler coletivamente Machado de Assis, é uma forma de retroceder no tempo ao ter contato com uma linguagem culta, entremeada de vocábulos de um mesmo tempo, é visualizar no enredo uma crítica sutil, irônica à burguesia brasileira daquela época.
Trazer Memórias Postumas de Brás Cubas para os Antenados é mostrar que um bom texto transpõe a força inaplacável do tempo. Quem escreve bem se eterniza.Diz a coordenadora do Projeto Nívia Ribeiro.

É a primeira vez que li este livro. Eu já conhecia o autor mas não tinha ideia de como era a linguagem dos livros dele.
E por ser uma linguagem bem diferente, é muito importante porque isso vai acrescentar muito na minha bagagem cultural.” Comenta a antenada Suelen Rüdiger


A leitura coletiva deste livro está sendo muito boa. Porque contém muitas palavras diferentes, que depois poderei usar em meus textos. E com a Nívia explicando fica mais fácil de entender a história.”Afirma o antenado Jefferson Cardoso.

E para dar aumentar o entendimento da turma, nada melhor do uma sessão cinema com o filme baseado no livro.


SHARE
    Blogger Comentarios
    Facebook Comentarios

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Tecnologia do Blogger.